quinta-feira, março 02, 2006

O portal para Deus.

Em um único e mágico instante, uma criança sorriu.
E diante daquele sorriso, a roda do mundo parou e o improvável aconteceu: as pessoas notaram o sorriso.
Não, não só notaram como sentiram também. Seus corações, embaçados de rotina, foram capazes, naquele instante singular, de perceber a grandeza da verdade que se revelava no sorriso de uma criança.
As pessoas amaram ver o amor no sorriso da criança.
E, de uma forma completamente inusitada, o efeito daquele sorriso se alastrou. As pessoas, uma a uma, transmitiram verdade também. E a verdade nada mais era do que a pura existência, o compartilhamento de uma felicidade simples, humana e gratuita, a verdade era só o amor. E o amor era Deus.
Jamais se viu isso antes.
A humanidade toda parada, estática, os motores silentes, as prioridades abandonadas e a pressa sufocada por aquela urgência de verdade.

Naquele único e mágico instante a razão dos homens se rendeu ao mistério da paixão.
Deus, curioso por tamanho silêncio, abriu a janela do céu e o que viu fez com que sua compreensão divina ficasse, também, estagnada.
Viu, congelada, no terreiro de sua criação, aquela imagem despropositada: as pessoas paradas, contemplando o sorriso de uma criança. A humanidade, que andava tão distraída, de repente, por conta própria, havia enxergando a verdade que tanto esforço Deus já havia feito para enxergassem.
As pessoas o viam na criança e o viam umas nas outras. As pessoas olhavam para ele, Deus, sem saber que o faziam.
Impressionado com aquilo, maravilhado e extasiado com aquilo, Deus ergueu sua voz de trovão gritando aos anjos _Aleluia, eles enxergaram! e já ordenava, exultante que se abrissem as portas do céu e que daria uma grande festa para comemorar a salvação de seus filhos.
Mas antes que Deus chegasse ao primeiro degrau, antes que despencasse à Terra para felicitar seus filhos por haverem enxergado a verdade; antes que um único ponteiro se movesse, um flash foi disparado na multidão e o instante que veio depois acabou com toda a magia.
É que o capitalista, encantado com aquele sorriso, cogitou de congelá-lo e vendê-lo e, por isso tirou uma foto, que virou um cartaz, um slogan e um single. O sorriso do menino, então, atendeu a um telefone celular, iluminou um creme dental, vendeu milhares de planos de saúde e se perdeu, entre os out-doors e os banners.
O sorriso que era tão mágico e tão puro, foi empacotado de todas as formas e distribuído em milhões de produtos.
Aquele sorriso embalado e manipulado já não era mais de verdade.
E as pessoas que foram tocadas, usando sua humana habilidade de esquecer o óbvio e ignorar o próprio coração, mesmo tendo experimentado estar diante de Deus, entenderam de retomar a rotina.
Desolado, assistindo à velocidade com que aquela loucura se espalhava, Deus, desanimado, sentou-se na escada e calou todas as suas palavras.
Os anjos, diante de um Deus magoado, recolheram todas as trombetas e envolveram Deus nos braços. Disseram a ele que outro portal se abriria e que, mais cedo ou mais tarde, os homens entenderiam e então a salvação se completaria.
Deus limitou-se a virar as costas e voltar para casa. Mas, a cada passo divino, outras crianças nasciam.
E assim o mundo seguiu criando e atropelando as verdades. Amando e matando as crianças.

5 comentários:

Bia disse...

Eu adoro vir aqui, pq sei que vou encontrar palavras que, com certeza vão mexer comigo e isso pra mim é o melhor de tudo. É uma loucura deliciosa saber que a gente escreve algo ficcional ou autoral com determinado(s) evento(s) em mente e aquilo adquire um significado todo próprio para quem está lendo. Vc já percebeu que, se unir determinados posts, escreve um livro? Tem uma história sendo contada! Realmente, é triste e assustador o quanto nós somos rápidos em ignorar o próprio coração e encontrar milhões de justificativas para chamar a essência de 'bobagem'. Pq será?? Bjo no coração.

Lu disse...

Olá Uri!
Que texto lindo! É tão presente em nossas vidas e, mesmo assim, às vezes as fichas custam a cair... Adoro estar com crianças! E sonho um dia ter meu filho! Um sorriso de criança acalma a alma e faz da vida mais feliz! Grande bjo!

Patrícia disse...

Lindo seu texto, Uri. De uma sensibilidade verdadeira. O efeito do sorriso ultrapassou a tela do micro e chegou até aqui, até mim...

Jorge disse...

Comercializa-se até mesmo um sorriso, mas o desproposito e a pureza do sorrizo de uma criança, esse não tem preço. Que o convite da festa de deus seja a pureza das crianças, e deixe os que comercializam sorrisos de fora. Abraço

Anônimo disse...

Eu me sentia um pouco assim entre os RNs (recém nascidos) lá do meu estágio em Neonatologia. Embora meu psiquiatra chame a atenção para o quanto são fragéis e dependentes dos adultos eu só conseguia enxergar o quanto eram poderosos em suas infinitas possibilidades... o quanto eram pura potência..., sem traumas, culpas, medos, frustrações... e acabava remoçando um pouco também...
Beijo azul da Cristina do Bandeijão